Pessoas lindas do meu coração, hoje temos a participação mais que especial da minha cunhada linda, que acabou de fazer o big chop (grande corte) e veio nos contar um pouco sobre sua história, experiência de transição  e como foi sua decisão de cortar o cabelo e voltar os cachos.

"Olá Pessoal, sou a Ana Priscila. Mais uma mulher lutado para ter as madeixas bem cacheadas novamente. Meus cabelos naturais são muito cacheados e a vida toda sempre sofri com eles, tanto para cuidar como para me relacionar com as pessoas. Quando criança escutava a frase que muitas de vocês já devem ter ouvido: "Nossa, arruma esse cabelo que você está igual um leão!". Mas acontece que eu gostava muito dos meus cachinhos, no entanto a nossa sociedade sempre impôs que cabelo cacheado bonito é apenas com baby liss.

Infância (1)

Quantas vezes eu via as atrizes com os cabelos cacheado e pensava que era baby liss. O cabelo liso era o top de linha e então eu tentava escovar, mas meu cabelo não dava certo com escova e prancha, pois ficava igual uma bruxa com o cabelo liso e alto(espigado).  Quando comecei a virar adolescente, eu fazia uma coisa muito comum. Partia o cabelo ao meio bem certinho e lascava creme, com gel e óleo de amêndoas. Ai já deu pra imaginar a cena né?!

Caixos no dia a dia seco

Quando tinha um evento importante como casamento, formatura ou se fosse passar o dia inteiro fora de casa tinha que passar gelatina incolor, pois ela modulava o cabelo e deixava durinho para não bagunçar, mas no dia seguinte tinha que lavar de novo, porque ficava esbranquiçado na raiz e quebrava as pontas.

Gelatina casamento

Gente, como eu amava as pontas do meu cabelo! Só não conseguia dar um jeito na raiz. Já que raiz alta era, uma vergonha, sinônimo de desarrumada. Então passou a adolescência e veio a vida corrida do trabalho e estudos, depois a faculdade. Uffaa, quanta correria! Tinha que passar horas arrumando o cabelo para ele não virar uma juba, e tinha que correr contra o tempo para dar conta de tudo.  Assim em 2009, quando eu estava com meus 19 anos foi quando conheci a progressiva com formol. Eu fiz a primeira  vez e não deu em nada, voltei na semana seguinte no salão e pedi para fazer de novo, a cabeleireira passou o produto puro em meu cabelo e enxaguou novamente, para depois fazer a escova e prancha. Á partir daí, ele foi abaixando a raiz, mas eu passava muito mal, tinha tonturas, ânsia de vômitos e ficava com o olho muito fundo, igual doente ( eu precisava escovar sempre, porque ele ainda não tinha ficado liso). Minha mãe ficava preocupada, mas eu sofria calada. Até que uma noite, após o dia que fiz uma progressiva eu acordei com a boca rachada, o nariz escorrendo sangue, o coração acelerado e muita tontura. Ai pensei que teria que parar, mas não estava decidida.  Comecei a pensar em algo mais fraco, mas na época não podia jogar duas químicas no cabelo, que ele caia, foi quando surgiu a progressiva com menos formol. Ai sim, eu fazia a cada três meses e não ficava passando muito mal. O cabelo começou a ficar muito mais liso, mas ela só fazia na raiz pois eu queria as pontas cacheadas. Adorava essa época!

Primeira Progressiva

 

progressiva mas com cachos

Mas não tem jeito se a gente passa química uma hora alisa tudo, enfim ele ficou lisinho eu podia lavar o cabelo e sair que ele estava esticadinho. Eu tinha tanto medo daquelas pontas ralas e secas de cabelos relaxados. Querendo ou não as pontas do meu começaram a ficar assim. Eu sempre sonhei com um cabelo liso, bem comprido e vermelho. Só que como não gostava das pontas eu cortava a cada 2 meses, não dava para ele crescer tanto e quase nunca crescia, um pouco mais que a parte do sutiã.

Progressiva COM formol 1

Em meados 2015 , 6 anos depois de tudo isso, conheci a fazer progressiva sem formol, feita a base de algas marinhas. Simplesmente adorei! Ela não dava cheiro e não precisava ficar escovando e passando milhões de vezes a prancha, pareceu ter feito um bem para meu cabelo, pois ele começou a crescer sem parar, e percebi que algumas partes da minha cabeça voltaram a nascer cabelo. No entanto essa progressiva não durava 3 meses e como transpiro muito, ela saia fácil e eu tinha que escovar sempre que lavava o cabelo (isso significa três ou quatro vezes na semana). Essa época  o cabelo estava muito seco por causa do formol. Pois, não sei se vocês sabem, mas o formol cria uma camada protetora por fora do cabelo e não deixa nenhum nutriente penetrar o fio, já a progressiva sem formol hidrata por dentro. Agora vocês pensam um cabelo com formol a 6 anos. Quando passei a  sem formol, vi como ele sugava o produto e tudo que eu passava ele a gradecia, ficava melhor. Pensei: "Gente, meu cabelo precisa de um jeito, quero ele com mais volume".

Progressiva SEM formol

Ficava  babando nos cabelos cacheados e pensava que eu nunca teria coragem para assumir o meu, pois tem uma outra questão. A minha testa, me incomodava mais que o próprio cabelo e se fosse para deixar o cabelo cachear eu teria que assumir a testa. Quando eu pensava nisso eu ficava muito triste, pois queria uma testa pequena para fazer muitos penteados, se eu fosse deixá-lo cachear. A briga interna começou! Minha cunhada Gisele, foi a pessoa mais próxima que decidiu assumir os cachos, então falei meio que brincando com ela que tinha o interesse em deixar cachear, e ela logo disparou fotos de mulheres com cabelo cacheado em meu whatapp. Gente, eu fiquei doida!  Fui rever as minhas fotos, ai que saudade dos meus cachinhos. Minha mãe sempre amou meu cachos  e sempre pedia para deixar eles crescerem, mas eu precisava de um apoio a mais: o do meu marido. Que apesar de ter me conhecido com o cabelo cacheado já havia acostumado com o cabelo comprido, vermelho e liso. Falei com ele o que pensava e ele não deu muito crédito. Mas toda semana eu comentava algo sobre os cachos e um dia ele reviu as minhas fotos antigas e disse: "Eu acho muito top cabelo cacheado, mas não pode ser partido no meio e nem com tanto creme, tem que ser alto igual ta usando na moda.". Pronto, eu tinha agora a opinião mais importante no momento, pois afinal, ele é quem acordaria ao meu lado e me aturaria todos os dias. Não esperei ele mudar de ideia, fui ao banheiro e cortei o cabelo na altura do pescoço( dia 13/11/2015).

Primeiro Corte

Ele ficou olhando aquilo com cara de "Meu Deus, que isso!". Mas ele topou a ideia. Quando contei para minha mãe que havia tomado uma decisão séria, ela ficou preocupada, então disse que iria deixar o cabelo crescer novamente, essa mulher chorou igual criança, e disse que estava muito feliz que me apoiaria, pois ela ficava muito preocupada comigo fazendo química. Então, agora era só alegria! Meu marido topou, minha mãe apoiando, a cunhada incentivando e muitas outras pessoas ao meu lado. Então, no dia 21/11/2015 eu cortei  o cabelo novamente, pois comecei a ler que o cabelo precisa estar sem química para ganhar força. Gente, esse dia eu escutei coisas que não esperava, do tipo: "Você passou o cabelo no liquidificador?" e  "Agora ta igual cabelim de espiga de milho!".

Dia do caquinho

Nossa, fiquei muito angustiada, pois a aparência pra mim sempre foi muito importante, desabafei com a Gisele e ela mais uma vez me colocava pra frente. Eu estava tão desesperada com aquele cabelo que já estava com 4 dedos de cachos e o restante liso que resolvi cortar. Fiz meu BC em casa com o marido no dia 24/12/2015 (Natal).

Dia do BC

2016-01-10 11.33.35

Meu Deus, que delícia me sentir assim realizada! Agora podia me sentir linda outra vez. Nossa, se eu pudesse explicar para todas as mulheres em transição, como é bom cortar a parte lisa e não ficar sofrendo!  E o mais surpreendente é que descobrimos, como ficamos lindas de cabelo curto. Agora é a primeira vez em minha vida que sinto ter me aceitado como sou. Aceitar o meu rosto (testa), aceitar o cabelo, aceitar o corpo. Eu aprendi a me amar de verdade! Esse período me levantou a autoestima e me revigorou. Agora posso me olhar no espelho sem ter preconceitos; sem a intenção de querer ter nascido diferente. Não me arrependo por todos os anos que fiz química, pois era assim que eu me sentia bem, mas posso dizer que hoje me sinto melhor, me sinto livre, me sinto linda e vivo a pensar em meus cachos que voltarão. Acho muito importante para quem acabou de fazer o BC é aproveitar cada minuto. Não se desespere ele vai crescer! Cuide bem,  hidrate bastante e seja feliz! Pois é, meninas se eu entendesse na minha infância que o leão da juba maior é o rei da floresta eu não teria feito quimica. kkkk

" Ana Priscila

Gente, que emocionante, não é mesmo?! Passar pela transição e vencer realmente é uma coisa que nos engradece demais. Adorei muito seu depoimento e todas as dificuldades passadas. Mas já venceu e agora é só ter paciência para crescer e ficar lindo! Você já é uma vencedora!

E você ai, o que achou? Está pensando entrar na transição, faça como a Ana, não desista, o resultado final é maravilhoso!

Gostou do depoimento, quer participar e contar um pouco da sua história também, nos envie seu depoimento.