Olá pessoal, tudo bem com vocês? Espero que esteja. Hoje vou contar um pouquinho o meu olhar da maternidade e minha gestação. Sempre tive vontade de ser mãe, era um sonho mesmo. Mas teria que ser no momento certo e planejado de forma consciente. Então quando eu e Will decidimos ter um filho, pagamos um plano de saúde, fiz todos os exames necessários e comecei a tomar a medicação indicada.

Em setembro de 2016 descobrimos que estava grávida, foi uma alegria  imensa, mas confesso que a ficha demorou um pouco para cair. E a ficha foi cair um pouco quando ouvimos o coração dele pela primeira vez, foi uma emoção muito grande, mas sabíamos que o caminho só estava começando.

Minha gestação de um modo geral foi bem tranquila, muito mesmo. Nos primeiros três meses não tive enjoos, somente muito sono. Havia dia que dormia 17 horas e era muito forte o sono. Eu tive uma gripe nesse período e passei mal uma única vez na minha gestação, por ter comido algo que me fez mal.

A princípio não queríamos saber o sexo do bebê e deixaríamos para o momento do nascimento, porém quando a barriga foi crescendo percebemos que estava muito estranho chamando ele só de bebê, sem nome. E Will tocava violão sempre, então queríamos ter um laço naquele momento, mas chamando de bebê achávamos muito estranho. Então com 5 meses descobrimos quem estava a caminho: Davi.

Sabe aquela frase "come por dois" então era a fome que sentia, gente sentia muita fome! Se tivesse acabado de almoçar e visse o Mc'donolds eu queria, se visse um bolo queria ele inteiro. Era muita fome, assim no primeiro mês engordei dois quilos de uma vez só, então decidi que iria a nutricionista, porém não achei que seria tão difícil.

A nutricionista que fui, era bem rígida comigo, não podia engordar nem uma grama a mais do planejado. Como sempre fui magra isso afetou muito meu emocional, pra mim poder comer é a melhor coisa na vida, me proibir disso é praticamente declarar guerra. Enfim, isso não deu muito certo!

Com 6 meses no ultrassom constava que estava com muita água e isso não era muito bom. Minha médica logo me pediu vários exames para ver o motivo dessa quantidade de água, ela acha que estava diabética, logo cortou várias das minhas comidas. Isso me deu mais tristeza ainda. Porque estava tentando ao máximo me controlar alimentação. Não acreditava que poderia estar diabética. O resultado dos exames não deu nada, como esperava.

Com 34 semanas ou 8 meses, Davi cismou que tinha que nascer, afinal tinha muita água e ele estava muito "baixo", então ela achou melhor que fizesse repouso absoluto e tomasse uns remédio para que desacelerasse esse processo e desenvolvesse o pulmão do Davi. E deu tudo certo, Davi foi nascer com 39 semanas, mas sobre o nascimento vou contar somente no post Davi chegou!

No fim da minha gestação engordei somente doze quilos, o que achei bem normal. E foi mais fácil ainda perde-los. Eu já sabia que seria fácil perder esses quilos adquiridos, afinal sempre tive muita facilidade de perder peso. Mas por tanta gente falando na minha cabeça tinha esse medo, hoje já se foram dez quilos, restam somente dois quilos, mas todas minhas roupas já me servem com folga.

Sobre as roupas, perdi praticamente quase todas na gestação. Sempre fui muito magra, então quando engordava um quilo já sentia que elas estava bem apertadas, com esses doze quilos a mais perdi praticamente todas. Andava com quatro peças de roupas que fiz para essa ocasião, e realmente no meu ponto de vista não vale apena investir, pelo menos comigo depois que o Davi nasceu não queria nem ver essas roupas.

Da gestação de um modo geral tenho saudades, afinal são muitas emoções, você fica muito sensível e um momento único. Sentir ele mexendo lá dentro, vê-lo nos ultrassom e esperar ansiosa para sua chegada, são sentimentos maravilhosos.

Muitos me perguntam se teria outro filho e com toda a certeza teria, pela minha gestação foi muito tranquilo engravidar, mas por hora acho melhor esperar e quem sabe daqui uns três anos pensamos em ter o segundo. Agora só quero ver o Davi crescer saudável e forte.

E hoje vejo o quanto a maternidade me fez amadurecer e ser outra pessoa, uma pessoa menos chata e reclamona, gastar energia com as coisas certas. Antes já via a gravidez como saúde e nada de doença, nunca gostei de muita paparicação por estar gravida, ainda penso assim, mas vejo que se deve ter muitos cuidados, pois não é tão simples como achava.

Então é isso pessoal, espero que tenham gostado do post falando da minha gestação. E até o próximo post.