Talvez seja necessário começar esse post dizendo que trabalhei como cabeleireira por logo tempo da minha vida. E a beleza da mulher esteve presente na minha vida, sempre tive prazer em ver as mulheres lindas, que seja de cabelo liso ou cacheados. Então sempre tive uma certa experiência com meu cabelo e nunca fui louca de passar qualquer besteira nele, sempre o hidratei, pelo menos uma vez na semana. Quando morava na casa dos meus pais, lá tinha babosa, e lhes digo, isso é uma maravilha, passava sempre e meu cabelo super agradecia (farei um post sobre hidratação com babosa, sem o cheiro incomodar muito). Meu cabelo era grande, sedoso, com brilho, macio, mesmo fazendo progressiva as vezes somente “rodava” (termo que se dá para fazer touca de meia ou com grampos) e meu cabelo ficava maravilhoso, de dar inveja em muitas pessoas, modéstia parte. Depois de ir para a cidade grande, morando em apartamento, trabalhando e estudando, o que me restava era passar ampolas no cabelo, nada naturais, ficava até bom, mas nada se compara a babosa da casa dos meus pais.

Recentemente passei pela transição capilar, mas espere, o que é transição capilar? Transição capilar é o período que você deixa de fazer química em seu cabelo para tê-lo totalmente natural.

Fácil? Jamais, mas não impossível.

Minha transição durou exatamente 4 meses, sou bastante ansiosa e imediatista, quero as coisas agora e já, pode ser? (risos)

Uma das várias perguntas que me fizeram quando decidi deixar de fazer progressiva foi: "por que cabelo cacheado?", outros me diziam "dá tanto trabalho, seu cabelo está tão lindo assim".

Resolvi primeiro que estava cansada de tanto ter que fazer progressiva, dava um mês e já tinha que voltar para o secador. Eu nunca fui de ficar fazendo progressiva ou relaxamento todo mês ou quando aparecia um dedo de raiz, sempre esperava no mínimo 3 meses. Sempre tive medo do meu cabelo ter corte químico, então sempre hidratava, comprava ampolas de vitaminas ou passava Bepantol.

Quando decidi, sabia que seria um período difícil, pois minha vida estava mudando muito. Estava noiva, ia me casar, iria embora para Europa para morar durante seis meses e nem conhecia meu cabelo, e daí? Sabia que estava fazendo a coisa certa, pedi a Deus para me dar força e passar por tudo isso. Os primeiros meses foi tranquilo, senti como se fosse o período de fazer progressiva, ou seja, três meses. E o pior era que estava com viagem marcada para Chile, e como lidar com aquele cabelo com duas texturas, sendo que estava deixando de usar o secador e não o levaria para viagem. Então aprendi a fazer a texturização. Nessa viagem foi importantíssima para minha transição, pois nela conheci meu cabelo, vi como ele era realmente e como iria cuidar dele. Seria sete dias em um País frio e desconhecido, conhecendo meu cabelo e recém-casada.

[caption id="attachment_239" align="alignnone" width="700"]IMG_3354 Resultado da texturização.[/caption]

Como fazer para meu marido não me ver de coquinhos? Lavava o cabelo e ficava com ele molhado até dormirmos, por volta da 1h, em plena madrugada meu celular despertava, levantava e fazia os coquinhos sem ele ver, ai no outro dia ele olhava e sempre dizia: “Uai você não dormiu assim?!”. E isso se repetiu pelos sete dias de viagem no Chile. Mas, foi muito bom andar com os cachos, as pessoas me olhavam admirando e até ele admirava, passava a mão e fazia elogios. Foram dias importantes para me conhecer, conhecer meu cabelo e o que me esperava pela frente.

Quando me mudei para Lisboa, decidi que iria fazer o Big Chop (na tradução literal "Grande Corte", que significa tirar a parte lisa que tem e deixar somente o cabelo natural) somente em dezembro, assim ele estaria com um tamanho legal e não assustaria tanto. Porém, nem sempre é tudo como planejamos.

Assim que chegamos em Portugal viajamos para Alemanha, e para meu espanto meu cabelo deu um trabalho danado por conta das duas texturas e não ficou bonito. Quando chegamos em Lisboa, dei hidratação e comecei a fazer o cronograma capilar (tabelinha abaixo). Porém as hidratações faziam o cabelo que estava com progressiva ficasse lindo e o cabelo cacheado muito estranho, por conta das duas texturas.

[caption id="attachment_246" align="alignnone" width="800"]Cronograma capilar Cronograma capilar[/caption]

Até que um dia meu marido me propôs que cortasse a parte com progressiva. Eu já vinha colocando-o por dentro dos assuntos sobre os cabelos cacheados e apresentamos todos esses termos. Bom, decidi que iria fazer isso, iria cortar tudo. Ele me ajudou naquele momento, tiramos toda a parte lisa, meu cabelo ficou bem curto, me senti única e corajosa. Algumas pessoas me olhavam estranho, porém, aqui na Europa existem pessoas bem mais diferentes do que uma menina de cabelo curto.

[caption id="attachment_241" align="alignnone" width="700"]04-12-14 Big Chop[/caption]

Hoje me sinto feliz após 3 meses de Big Chop, sabendo que meu cabelo cresce saudável e do jeito que ele realmente é. Estou feliz por estar livre e sem depender de químicas que mudavam sua estrutura. Agora a única coisa com que me preocupo é com que ele cresça mais rápido, utilizando técnicas que venho aprendendo (em breve posts sobre essas técnicas). Espero que quem ainda esteja em dúvida de entrar na transição ou de fazer seu Big Chop, esse post possa servir de incentivo.